"Agrada-te do Senhor, e Ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais Ele fará." Sl37: 4-5















sexta-feira, 19 de setembro de 2014

A importância do saber

Depois de um verão maravilhoso com muito sol e calor, a chuva voltou. Mas eu não estou reclamando!!! este ano nós tivemos pouquíssimo frio e eu aproveitei bastante!!!
Agora é hora de curtir a mudança da paisagem e desfrutar do lado bom que o frio nos traz... Sim, gente, tem lado bom!!! rsrsrsrsrsr... Montanhas com neve, chocolate quente, roupas elegantes, friozinho gostoso e mais sono... tudo de bom!!! rsrsrsrs...
Mas eu comecei a escrever este post pra contar vcs o que aconteceu comigo hoje e não pra falar do clima daqui rsrsrsrs...
Eu acordei cedo pra levar minha filha a escola e diferente dos outros dias, que eu me arrumei pra ir a academia, hoje eu não senti vontade de ir. Na minha cabeça eu estava com preguiça, então, eu levaria minha filha e depois voltaria correndo pra dormir bem quentinha debaixo do edredon. Plano perfeito, né??? rsrsrsrs... mas Deus tinha um outro plano pra mim.
Depois que eu deixei minha filha na sala eu encontrei minha amiga brasileira, mãe da melhor amiga de minha filha, e uma outra mãe da escola logo no hall de saída. Não sei se elas me chamaram ou eu parei pra falar com elas, eu só sei que elas me disseram que teria uma palestra pra ensinar como fazer a mesa pro Rosha Hashanah, ano novo judaico, e me perguntaram se eu não queria ficar. Na hora minha resposta imediata foi: ah, não!!! rsrsrsrsrsr...
Mas elas insistiram e eu acabei ficando. Pra minha surpresa não foi nada de organização de mesa, foi um estudo bíblico dado por um professor israelense sobre os príncipios do Rosha Hashanah para os judeus.  
Ele abordou a criação, o homem como semelhante a Deus (E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Gênesis 1:27), o julgamento de Deus e a idolatria. Todos esses assuntos são ligados ao ano novo judaico.
Como uma cristã que é apaixonada pela bíblia, eu sou muito curiosa em relação ao judaísmo. Ouvir uma ministração judaica ou participar de suas festividades é como se eu estivesse mergulhando nas páginas do antigo testamento e entendo melhor como Moisés, Daniel, Davi e muitos outros homens e mulheres de Deus se relacionavam com o Senhor.
Bom, eu prestei bastante atenção no que estava sendo falado e algumas partes do estudo me chamaram atenção:
1- Deus criou o homem um ser pensante, capaz de fazer escolhas, de dominar os animais e o mundo, um ser com emoções. Diferente de todo o resto que já tinha sido criado nos dias anteriores Deus criou o homem acima de todas as demais criações, o que nos mostra como somos especiais pra Ele.
O professor, então, leu como alguns povos vêem a criação do mundo e foi interessante constatar que diferente da bíblia, outras crenças não colocam o homem num patamar especial, mas no mesmo nível que as criaturas, ou seja, animais e natureza.
Eu não comentei nada, mas, como cristã, eu tenho visto nos últimos anos uma crescente preocupação com os animais e natureza e um descaso contínuo em relação ao ser humano.
Não estou dizendo que não devemos nos preocupar com os animais abandonados ou com a natureza como um todo, mas não é coerente que um bicho tenha mais atenção que um ser humano. Gente, isso não é bíblico!!! Nós somos filhos de Deus, nós fomos criados a Sua imagem e semelhança, nós e não as demais criaturas.

2- Para os judeus existe um dia no ano que Deus julga os nossos atos. É como se fosse um dia que nós tívessemos que parar e analisar as nossas vidas, vê o que está errado e fazer melhor. Eu não falei nada, mas pra nós, cristãos, é bem diferente. Nós não temos um dia pra nos avaliarmos por ano, pq todos os dias que nós nos chegamos a Deus em oração nós somos confrontados com os nossos pecados. Existe uma necessidade de estarmos prontos diariamente pro Senhor pq não sabemos o dia que Ele nos chamará.
O professor, inclusive, comparou Deus com um pai de família. Ele disse que um pai perdoa o filho por mais errado que ele esteja mesmo que ele não peça perdão.
Gente, mais uma vez eu não falei nada, mas quanto a isso eu não concordo. Deus não pode perdoar quem não se arrepende. É claro que Ele ama e o seu amor não é reduzido pelo tamanho dos nossos erros, mas se não houver arrependimento não há perdão. Por outro lado, por pior que sejam os nossos erros, por mais absurdos que possam ser havendo arrependimento existe perdão.

3- Idolatria. Segundo o professor, e eu concordo plenamente, muitas coisas são importantes pra Deus, mas a idolaria é abominável. E a idolatria que Deus não tolera e é claramente citada na bíblia é a de imagens de escultura.
Atribuir a divindade de Deus pra uma coisa sem vida, criada por mãos humanas, é desrespeitar a grandeza de Deus.
Eu citei o Salmo 115, que diz: ...Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos dos homens.
Têm boca, mas não falam; olhos têm, mas não vêem.
Têm ouvidos, mas não ouvem; narizes têm, mas não cheiram.
Têm mãos, mas não apalpam; pés têm, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta.
A eles se tornem semelhantes os que os fazem, assim como todos os que neles confiam.
Gente, pra encerrar eu gostaria de dizer que a fé vem pelo ouvir e o ouvir da palavra de Deus. Vc não perde nada em buscar conhecimento bíblico, pq o conhecimento nos leva pra mais perto de Deus e nos impede de sermos enganados por seitas e crenças mentirosas.
"De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus." Romanos 10:17
Que o Senhos nos dê um final de semana abençoado.


quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Entrando na rotina

Oi gente, hoje uma amiga me perguntou se meu marido havia melhorado e eu fiquei pensando que talvez vcs tb quisessem saber. Sim, ele está bem melhor, graças a Deus. E já parou de falar que vai morrer rsrsrsrsr... Quase me deixou doida!!! rsrsrsrsrs...
O lado bom dessas experiências de doença é que nós temos testado o serviço médico daqui e pra nossa felicidade tem sido muito bom. Eu não tenho do que reclamar. Todas as vezes que precisamos o sistema público de saúde do Canadá respondeu as nossas expectativas.
Eu sei que não é perfeito, mas em nenhum lugar do mundo é, então, eu posso dizer que estou satisfeita.
Mudando de assunto, estou começando a ter uma rotina novamente. Minha filha já está na terceira semana de aula e eu estou organizando o meu schedule. Já voltei pra academia... quero dizer, voltei daquele jeito: vou um dia, me sinto o máximo e depois fico duas semanas sem ir rsrsrsrsrs... Tenho que ser sincera, ginástica ainda não é o meu forte. Mas a boa notícia é que hoje eu fui e até que foi legal rsrsrsr... Amanhã eu vou de novo, se Deus quiser :)
Fora a academia eu tenho me dedicado aos homeworks de minha filha. Ela está no grade 1 e além do inglês ela já está aprendendo a ler em hebraico, o que significa que eu tb tenho que aprender. Semana passada eu abri o folder com os exercícios de hebraico e fiquei olhando, olhando e olhando até que eu desisti rsrsrsrsr... 
Provavelmente vc está se perguntando agora o pq de expor minha filha a uma terceira língua. Bom, foi pra a escola judaica que Deus nos direcionou. Ela entrou lá com três anos, no preschool, já se sente em casa e a escola está dando todo suporte necessário pra ajudá-la a superar as dificuldades. Inclusive, eles não esperam que ela seja excelente em hebraico e nem que aprenda a gramática com fluência, mas o básico ela tem que saber. 
Eu participei de uma reunião de pais na segunda-feira e ouvi uma palavra bem interessante do diretor da escola. Ele falou sobre a importância da educação das crianças. Segundo ele, o Talmud - livro de discussões rabínicas - diz que os pais devem ensinar os filhos a ler a Torá (conhecer a palavra de Deus), a ter um ofício (uma forma dele ganhar a vida honestamente) e a nadar (sobreviver, se defender no mundo). 
É, portanto, responsabilidade da família priorizar a educação dos filhos pra que neles sejam encutidos princípios e valores corretos. E no caso de uma criança não ter pais que possam ajudá-la a comunidade deve tomar pra si a responsabilidade de orientar essa criança dando a ela uma educação de qualidade. 
“Educa o pequeno conforme seu caminho, pois, por mais que envelheça, não se desviará dele” (Provérbios 22:6). 
Infelizmente a maioria das pessoas não sabe o valor de uma boa educação, mas eu sei. Podem tirar tudo de vc, mas o que vc aprendeu ninguém tira. 
Mudando de assunto, no final desse mês eu vou ter duas reuniões no Skills Connect, sendo uma delas a de mentorship. Eu vou estar em contato com uma pessoa da minha área de trabalho que me ajudará a entrar no mercado. Pelo menos é o que eu espero rsrsrsrsrsr...
As vezes eu me preocupo por não estar trabalhando ainda, mas ai eu lembro que Deus tem o controle de tudo e que basta uma palavra DEle, somente uma palavra, pra que as portas se abram. É somente confiar e continuar mandando curriculums.
Bom, já tá tarde. Boa noite a todos.

domingo, 14 de setembro de 2014

Mais um final de semana estressante

Graças a Deus as coisas estão bem agora. Já estou na minha cama sentadinha tranquilamente pra escrever pra vcs. 
Bom, tudo começou durante a semana com a gripe do meu marido. Eu e minha filha nos recuperamos enquanto ele continuou reclamando. No começo era da garganta e da febre, mas a partir de quinta ele passou a sentir dores no estômago. Eu não sou médica, mas tb não sou ignorante de tudo, logo imaginei que a dor que ele estava sentindo era por causa dos remédios que ele tinha tomado pra gripe e sugeri que ele suspendesse todos se a febre não voltasse. Ele parou de tomar os remédios mas a dor continuou.
No sábado eu fui com minha filha pra uma festa de brasileiros que estava tendo em North Van. Na verdade eu nem gosto muito desse tipo de evento, mas eu estava com esperança de comer acarajé. Infelizmente ninguém estava vendendo acarajé :( e eu tive que me contentar com as coxinhas :). Já no final da tarde meu marido ligou dizendo que estava se sentindo muito mal e eu fiquei preocupada. Uma amiga me deu um remédio que ela trouxe do Brasil pra estômago e eu fui pra casa dar a ele. Nossa, ele estava um nervo só e me deixou doidinha!!! Eu quis levá-lo logo pra emergência mas ele preferiu tomar o remédio e ver se melhorava. Passamos horas conversando e eu checando pra ver se ele estava bem. Orei, o coloquei nas mãos de Deus, mas confesso que eu estava mega preocupada. Doença é sempre ruim, mas longe da família é pior ainda!!!
Pela manhã resolvemos que era melhor ir ao hospital. Poderíamos esperar pra ir a um walking clinic, mas o médico, provavelmente, o encaminharia pra exames e isso poderia demorar. Fomos pra emergência eu, meu marido e minha filha... Nossa, eu já estava estressada só de pensar na possibilidade de ser algo mais grave. Ele foi atendido logo, em menos de meia hora, mas os exames levaram a tarde toda, então, quando passou das duas da tarde levei minha filha pra casa e fiquei esperando o meu marido me ligar. 
Enquanto isso falei com minha tia no Brasil, que é gastro, e ela me disse que provavelmente ele tinha desenvolvido uma gastrite pelo uso de medicamentos. Graças a Deus foi a mesma conclusão dos médicos daqui. Fizeram raioX e ultrassom, não viram nada de anormal, e passaram um tratamento pra gastrite... Ufa!!! que alívio!!!!
Voltamos pra casa e eu fui direto pra cozinha preparar um jantar leve, com bastante fibra e sem gordura. Eu já tinha cortado óleo na comida. Não uso óleo em nada!!! fritura, então, nem pensar!!! só se for um exceção. Mas agora eu vou ter que caprichar nas fibras. O médico pediu que ele comecesse muita fibra nos próximos dias... ai que vontade de ter minha sogra e a "mada"(madrinha) dele aqui pra me ajudar!!!
Todo esse estresse e preocupação me fizeram ouvir alguns louvores pra relaxar. Eu estava precisando ouvir uma palavra que recarregasse as minhas energias e liguei o som. Gente, eu senti uma saudade das igrejas brasileiras!!! uma vontade de estar com os irmãos louvando o meu Deus em português. Eu senti que eu precisava avivar o meu coração, a minha vida, pq desde que eu cheguei aqui eu ainda não me encontrei ministerialmente. 
Todo mundo aqui em casa gostou muito da igreja que visitamos em Langley, mas toda vez que marcamos pra ir lá acontece alguma coisa. Hoje mesmo nós queríamos ter ido e fomos parar na emergência. 
Bom, que o Senhor me guie e me mostre o caminho que eu devo seguir. Desejo tb que Deus abençoe a semana de vcs, que nos fortaleça pra que vençamos as dificuldades do dia a dia e alcancemos a vitória.
Boa noite.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Vivo em outro mundo

Oi gente, as coisas aqui em casa estão melhorando. Eu e minha filha ainda estamos tossindo, mas estamos bem. Ela, inclusive, já voltou pra escola. Infelizmente o meu marido continua gripado. Ontem eu nem deixei ele trabalhar, pq a febre estava acima de 38.
Ele demora pra ficar doente, mas quando fica.... é um drama só!!! Se eu pudesse trazia a mãe dele pra cá, pq ele fica na maior carência rsrsrsrsr...
Mas o que eu quero compartilhar com vcs hoje é outra coisa. Ontem, uma prima minha postou no facebook que teve o seu celular roubado. Graças a Deus não aconteceu nada com ela, está tudo bem, mas eu não pude deixar de refletir sobre o assunto.
Pela escolha que eu fiz de deixar o Brasil e recomeçar a minha vida em um país mais justo, eu tenho criado a minha filha num outro mundo. Ela não sabe o que é ter medo de ladrão, de assalto, da tensão de parar no sinal fechado ou de entrar na garagem do prédio a noite. Minha filha não sabe o que é parar o carro na rua e ficar olhando pros lados com medo de ser surpreendida por marginais. Ela não sabe o que é favela, tiroteio, crianças dormindo na rua e fila do SUS.
Minha filha está tendo o privilégio de crescer livre. Ela brinca em parques abertos, anda de bicicleta pela vizinhança, mora num lugar onde as pessoas são respeitadas e sabem respeitar os outros, onde pobres e ricos tem direito a mesma assistência médica e onde a miséria não existe.
É claro que não é perfeito, pq lugar nenhum da terra é, mas é um sonho.
Mudar de país não foi um passo fácil, pelo menos não pra mim. Deixar as pessoas que eu amo e a minha vida pra trás pra começar tudo de novo em outro idioma foi desafiador. Mas eu sabia o que eu não queria mais. Eu já tinha sido assaltada e não aguentava mais conviver com o medo das ruas e a certeza de que as coisas só iriam piorar, como realmente aconteceu. 
Vir para o Canadá não foi a solução de todos os meus problemas, muito pelo contrário, mas me trouxe a paz que eu estava procurando pra minha vida. 
Eu ainda não consegui o meu primeiro emprego, eu sinto falta de minha família, dos meus amigos, não gosto de não poder estar nos aniversários, casamentos, nascimentos, enfim... eu estou aqui consciente que grande parte da minha vida ainda está no Brasil. Mas quando eu sento num parque aberto, cercado de casas sem muro e fico conversando com minhas amigas enquanto nossos filhos brincam livremente eu tenho certeza de que eu fiz a escolha certa.
Valeu a pena todo o tempo de espera e todo sacrifício pra viver esse sonho.

domingo, 7 de setembro de 2014

Todo mundo com virose

Ontem, depois que eu atualizei o blog, minha filha continuou vomitando e nós decidimos levá-la a emergência.
Na hora eu fiquei em dúvida se levava pro hospital daqui de Richmond, perto de casa, ou se ia pro Children's Hospital. Eu sabia que era questão só de hidratação, então, qualquer emergência serviria, mas acabei optando pelo Children's pq o hospital é todo decorado pra criançada, a sala de espera tem TV com desenhos e filmes infantis e os médicos são especializados em crianças, ou seja, minha filha se sentiria melhor lá.
Pra minha surpresa nós chegamos e fomos logo atendidos. Me mandaram dar Pedialite a cada cinco minutos durante uma hora pra ver se minha filha conseguiria beber e pasmem vcs ela não vomitou nenhuma vez. Eu fiquei feliz, mas indignada ao mesmo tempo, pq em casa tudo que eu dava ela colocava pra fora, inclusive o Pedialite, e no hospital ela tomou tudo. Eu acabei me passando por aquelas mães exageradas rsrsrsrs... Mas tb qual é a mãe que não é, né??? rsrsrsrs... 
Bom, o médico examinou minha filha e fez o que eu já esperava, nos mandou pra casa. Ela dormiu bem e hoje já acordou toda serelepe, graças a Deus!!!
Já eu peguei a virose dela e estou mole. Eu acordei com aquela sensação de corpo febril querendo cama, sabe??? Mas tive que levantar, pq, caso contrário, a casa parava, né???
Meu marido ficou com minha filha pra eu dormir um pouco mais, mas na hora de fazer a comida ele me chamou. Ele foge da cozinha!!!
Final da tarde ele tb estava reclamando de corpo mole, enjoo e dor de cabeça. Acho que a virose pegou todo mundo aqui :( Mas ainda bem que não é nada sério... é chato, mas em poucos dias, se Deus permitir, tá todo mundo bem de novo.
Bom, vou ficando por aqui. Que Deus abençoe as nossas vidas nessa nova semana.
Boa noite a todos.

sábado, 6 de setembro de 2014

Final de semana de virose

Oi gente, minha filha tá dodói. Começou na madrugada de quinta pra sexta com febre acima de 38, tosse e vômito. 
Na sexta eu fui a uma walking clinic perto de casa pq eu queria ver se era garganta, já que ela estava reclamando que a garganta estava doendo, mas a médica que a examinou disse que tudo indicava que fosse virose. Por desencargo de consciência ela mandou uma amostra de secreção pro laboratório e o resultado sai em três dias.
A febre está começando a ficar espaçada, mas os vômitos ainda não pararam. Ela não tá comendo nada e isso me deixa super angustiada.
Eu já imaginava que ela fosse ficar doente, pq há uns dez dias os dois filhos e o marido de uma amiga ficaram doentes, depois uma amiguinha de minha filha, que teve contato com eles, tb ficou doente e essa amiguinha é a "best friend" de minha filha e estuda com ela na mesma sala, ou seja, a chance de minha filha pegar o vírus era muuuuito grande!!! eu só não esperava que fosse tão forte.
Ao ver minha filha doente eu fiquei pensando em como uma pessoa pode viver sem Deus. Pq eu só penso NEle quando eu vejo a minha filha sofrendo. Eu oro, eu coloco as minhas mãos sobre ela, peço por sua saúde, por sua vida, enfim, eu me apoio no Senhor. Como alguém pode ver um filho doente e confiar somente nos médicos e remédios??? Eu não conseguiria. Pra mim as mãos do Senhor são as mãos que guiam os médicos e dão a eles sabedoria pra que a recuperação venha logo.
Hoje eu conheci pelo facebook uma família que está morando em Saskatchewan e está pensando em mudar pra Vancouver. Conversa vai e conversa vem ela me contou que em Saskatchewan, pelo menos na região que eles moram, não tem médico. Todos que precisam de médico vão pra emergência e as filas são enormes!!! Eu ficaria um pouco tensa num lugar desses. Agora mesmo, se minha filha não parar com os vômitos eu estou pensando seriamente em levá-la pra emergência. Não por causa da virose em si, mas para hidratação. Não está parando nada na barriga dela.
Fiz canja de galinha, comprei pedialite, ofereci melancia - que ela ama!!! - mas, além de não querer nada, o pouco que ela aceita comer ela coloca pra fora. Eu e o marido estamos super preocupados!!!
Eu sei, é coisa de criança, mas qualquer doencinha já me deixa apreensiva.
Por favor, orem por nós.
Que o Senhor abençoe a nossa semana.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Primeiro dia de aula - Grade1

Eu nem consegui dormir direito de ontem pra hoje... Eu estava super ansiosa com a volta as aulas!!! Parecia até que eu era a estudante rsrsrsrsrs... 
Como vcs devem lembrar, no final do Kindergarten, no mês de junho, a escola me chamou pra conversar sobre as dificuldades que minha filha estava tendo com a aprendizagem. Fiquei muitíssimo preocupada e fui atrás de informação. Era tudo muito novo pra mim!!! Conversei com psicólogos, professores da rede pública e privada, visitei escolas, conversei com amigos e fui no médico de família. Entrei na lista de espera pra uma avaliação mais aprofundada pra saber qual o tipo de problema que ela tem, se tem ou não, e o que deve ser feito. Como o sistema é público e o caso não é emergência, deve levar ainda alguns meses até que entrem em contato comigo. Como eu não podia ficar parada esperando essa avalição eu contratei um tutor pra ajudar minha filha. Ela, então, passou a maior parte do verão estudando e se preparando pra voltar as aulas. É claro que ela também se divertiu, afinal, era férias. Eu não deixei que ela ficasse "bitolada" nos estudos o tempo todo, mas ela teve que se esforçar.  
Há dois dias atrás, quando ela soube que já ia voltar as aulas, ela teve uma crise de choro. Chorou copiosamente com medo de não conseguir aprender. Eu fiquei com o coração apertado, mas me segurei, abracei ela bem forte e disse que nós duas iríamos aprender juntas. Que eu estaria com ela o tempo todo pra ajudá-la no que ela precisasse.
Vcs podem imaginar o quanto eu fiquei preocupada com a volta as aulas. Eu não queria que ela sentisse nenhuma dificuldade acima do normal que pudesse deixa-la insegura. Mas como não era nada que estivesse em minhas mãos só me restou orar e passar o máximo de segurança que eu pudesse pra ela.
Graças a Deus, o primeiro dia foi MARAVILHOSO!!! minha filha ficou numa boa, se deu bem com as novas professoras e voltou pra casa mega feliz :):):) Ufa, que alívio!!!! 
Quando eu a deixei na sala encontrei com uma família que acabou de chegar de Israel. Os dois filhos do casal não falam inglês, então, os pais estavam preocupados e a mãe chorando. Fiquei conversando com eles e veio uma outra mãe, quase chorando tb, contando que um dos filhos do casal saiu da sala e foi chorar sozinho no banheiro. Ela, então, o seguiu e perguntou a ele - em hebraico - o que estava acontecendo, e ele respondeu: Eu não estou entendendo nada.
Nessa hora chorava a mãe dele, a mulher que estava contando e eu rsrsrsrsrs... Qualquer mãe sabe como é angustiante deixar o filho numa escola nova, num país novo, em um idioma novo. Não é fácil!!!! Mas a escola quando soube da situação colocou a conselheira, que fala hebraico, pra ficar sentada com ele até que ele se sentisse mais confortável.
Eu sei que essa família venceu o primeiro dia. A mãe chorou muuuito, mas não foi até a sala, o pai deu suporte, foi seguro, e as crianças estavam felizes no final do dia.
Tenho certeza que em menos de três meses os dois vão estar cheio de amigos e se comunicando em inglês.
Mudando de assunto, eu não estou sofrendo diretamente com a greve pq minha filha estuda numa escola particular, mas todas as escolas públicas daqui de BC estão em greve e ninguém sabe ao certo quando as aulas vão começar. Eu, pessoalmente, apoio 100% os professores. Quando eu estava fazendo minhas pesquisas de escolas pra minha filha tive a oportunidade de conversar com alguns deles e concordo plenamente com o que está sendo reivindicado. 
Não pensem que é somente aumento salarial. Grande parte das reivindicações está voltada pra mais suporte para as crianças, como mais horas de fonodiólogos, psicólogos, salas reduzidas e outras coisas que só vão beneficiar o sistema como um todo.
Tenham uma boa noite.