"Agrada-te do Senhor, e Ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais Ele fará." Sl37: 4-5















domingo, 25 de janeiro de 2015

Mãe mil e uma utilidades

Eu estou com preguiça de começar mais uma semana. Se eu pudesse eu já estaria de férias, mas eu sei que não posso reclamar. Estou com saúde, estou fazendo um curso bacana, já tenho um estágio garantido e estou conhecendo um monte de gente, ou seja, tá tudo muito bem, obrigada.
Mas é que ser mãe e ter uma carreira nem sempre é fácil, né??? Eu pelo menos me culpo muito por não poder me dedicar mais aos estudos de minha filha, fico pensando se eu fizesse isso ou aquilo as coisas poderiam estar melhores pra ela, enfim... Quem é mãe sabe que a gente tem que se virar nos 30 pra dar conta de tudo. Principalmente mãe imigrante sem emprego, que não tem o apoio da família por perto e nem uma secretária pra ajudar na comida e na limpeza... a vida é dura!!!! rsrsrsrsr...
Na próxima quarta irei levar minha filha a pediatra e vou ouvir a opinião dela. Continuo lendo muito a respeito e conversando com pessoas que passaram ou estão passando pela mesma situação. 
Tenho notado que muita gente que nunca enfrentou o problema de dificuldade de aprendizado de um filho não acredita que exista de fato o déficite de atenção. Por outro lado, mães e pais que têm filhos com problemas sérios de aprendizado, que afetam a auto-estima e o emocional da criança, não só acreditam como também são a favor do tratamento. 
Peço muito a Deus que me oriente e me guie pra que eu faça o melhor, pq eu não sou da área e não sou entendida do assunto. Sou uma simples mãe que caiu de paraquedas no problema.
Falando em Deus, semana passada eu e meu marido batizamos um amigo nosso. Ele já frequentava a igreja há algum tempo, mas só decidiu batizar agora e o pastor nos convidou pra fazer o batismo já que ele faz parte do nosso grupo de estudo. Confesso que o meu primeiro pensamento foi negar, já que eu achava que era uma tarefa de pastor, mas o Espírito Santo me lembrou que Felipe batizou o Eunuco e eu entendi que era um grande privilégio que o pastor estava nos dando em permitir que batizássemos um amigo. Nossa, fiquei muito feliz!!!! pelo batismos em si, que foi lindo, e pela oportunidade dada, que eu nunca tinha tido antes.
Lembram da igreja que eu tinha visitado em Langley e tinha amado??? pois é, tanto eu quanto o meu marido gostamos muito de lá e pensamos muito em congregar naquela igreja, mas oramos e o tempo foi passando, surgiu a oportunidade do curso de liderança e hoje eu entendo que Deus nos colocou na igreja de Richmond pq Ele tem um propósito conosco aqui. A cada dia que passa eu tenho mais certeza disso.
Bom gente, vou ficando por aqui. Tenham uma semana abençoada, cheia de coisas boas.
Boa noite

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Minha filha e o déficite de atenção

Hoje eu tive mais de uma hora de reunião com a "counsellor" da escola da minha filha. Foi uma conversa agradável, esclarecedora e que me apontou os próximos passos que eu terei que dar a partir de agora.
Desde o último post sobre esse assunto eu recebi muitos comentários, inclusive de amigos questionando o diagnóstico e a doença propriamente dita. Eu tenho lido bastante sobre o assunto e estou aberta pra ouvir opiniões e sugestões. 
O que eu sei de fato até aqui é que minha filha é uma pessoa linda, meiga, carinhosa, um presente "perfeito" de Deus na minha vida. Mas ela tem uma dificuldade muito grande de aprendizado, tão grande que ela está tendo um calendário diferenciado do resto da turma.
Pra se chegar ao diagnóstico de déficite de atenção a psicóloga passou uma tarde inteira avaliando a minha filha intelectualmente e academicamente. Eu não acredito que ela tenha criado um diagnóstico, tenha seguido uma "moda" ou tenha buscado o resultado mais fácil. Eu tenho certeza que ela viu em minha filha traços de uma criança com dificuldade séria de concentração. O que não significa que eu esteja convencida da necessidade do medicamento.
Como eu falei pra vcs, eu tenho lido sobre o assunto e os efeitos das drogas pra déficite de atenção podem ser gravíssimos, inclusive, a longo prazo ainda são desconhecidos.
A "counsellor" me disse que o déficite de atenção pode ser por traumas emocionais e por ausência química. No primeiro caso o remédio não ajudaria em nada, já no segundo daria resultados.
Ela sugeriu que eu tentasse por um período pra ver se ajudaria minha filha de algum jeito, pq ela teme que as dificuldades do dia a dia a façam desistir de ir a escola.
Uma amiga psicóloga me apresentou o Ômega 3 como uma solução natural pro problema. Comprei semana passada e já estou dando. Tenho lido sobre o assunto e estudos têm apresentado bons resultados.
Tenho uma consulta com a pediatra na semana que vem e vou perguntar sobre as opções naturais e dosagens. Vou ter que pedir tb um "referral" pra o Children's Hospital. A "counsellor" me disse que eles tem um departamento que ajuda no acompanhamento de crianças com déficite de atenção. É claro que não vai acontecer do dia pra noite, existe uma fila, mas assim que a gente for chamada as coisas fluem.
A "counsellor" tb sugeriu que eu fosse ao School Board daqui de Richmond perguntar sobre umas classes especiais que eles têm pra crianças com dificuldade de aprendizado. São salas com somente 3 ou 4 alunos. Eu vou, mas eu não sei se é fácil ter acesso a essas salas, já que eu conheço duas crianças que têm o mesmo problema e estudam em escolas públicas daqui em salas normais. Okay, eles têm aulas nessas salas menores tb, mas não é sempre não. Enfim, não custa nada dar uma olhada, né???
Vou dizer uma coisa pra vcs: hoje eu não penso em medicar minha filha. Gostaria de ter condições de pagar um tutor que pudesse me ajudar a ensina-la, mas agora não dá.
Só pra vcs terem uma ideia, ela aprendeu o alfabeto com a professora ensinando em 3D. Ela só fixou as letras depois de toca-las e senti-las, pq só vendo no papel não era o suficiente. Ela aprendia e esquecia ao mesmo tempo.
Mas foi como a "counsellor" disse: Nada na vida acontece por acaso. De repente ela veio com essa dificuldade e com a necessidade de sentir mais as coisas pra se transformar em uma grande artista... quem sabe??? Eu só sei que a minha confiança está no Senhor. Não está no remédio, na psicológa, no tutor e em ninguém, mas somente em Deus.
Tenham uma boa noite.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Uma tarde no hospital

Oi gente, acabei de chegar do hospital... isso mesmo, do hospital!!! Quando eu acordei senti uma cólica super forte que eu não conseguia nem colocar o pé no chão. Como eu estava sozinha com minha filha, já que hoje ela não teve aula e ficou comigo, eu tomei um dorflex, esperei melhorar um pouco e fui ao hospital. Eu até pensei em ir no walkin clinic, mas eu sabia que o médico ia pedir exame de sangue, urina e ultrassom e isso iria atrapalhar e muito o meu schedule. Então eu resolvi ir logo na emergência pq tudo seria feito lá mesmo.
Mais uma vez eu estou agradecida pelo atendimento daqui do Canadá. Fui atendida rapidamente, fizeram todos os exames e foi constatado que a dor que eu estava sentindo era devido a um cisto no ovário. Agora é ficar de olho e repetir os exames daqui a três meses. Graças a Deus está tudo bem!!!
Mudando de assunto, eu consegui o meu estágio. Depois que o curso que eu estou fazendo na SFU acabar em fevereiro eu tenho que estagiar por um mês. Mandei alguns curriculums e uma fazenda de vegetais orgânicos me chamou pro estágio. O nome da fazenda é The Sharing Farm Society e ela produz alimentos que são doados pro food bank e outras ongs que ajudam os pobres.
Na reunião que eu tive com a pessoa do departamento de comunicação eu perguntei se aqui tinha pobres em quantidade suficiente pra receber as doações, já que aqui não é o Brasil e nem outro país conhecido pela miséria. E ela me explicou que a pobreza aqui é escondida, a gente não vê. Mas que dados da prefeitura mostram que 25% das famílias de Richmond vivem abaixo da linha da pobreza. Geralmente são pais solteiros que perderam o emprego e, devido ao aluguel alto e o preço elevado da comida, ficaram em poucos meses sem ter condições de arcar com as despesas. Dados das escolas públicas mostram que 25% das crianças vão pra escola sem ter tomado o café da manhã. Incrível, né???
Ela também me disse que tem ruas aqui que não parecem, mas são ruas de pessoas bem pobres. São townhouses e apartamentos onde cada família ocupa um quarto, ou seja, 3, 4 ou mais pessoas dividindo o mesmo espaço. Isso não está visível, mas existe.
Essa fazenda sempre está precisando de voluntários, vou deixar o link aqui pra vcs darem uma olhada.
Tenham uma semana abençoada.



quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Minha filha e a psicológa

Oi gente, acabei de chegar do curso de liderança que estou tendo na igreja e me deu vontade de escrever pra vcs.
Meus últimos dias têm sido bem corridos por conta do meu curso na SFU e do meu propósito de malhar 30 min por dia. Parece pouco, mas quando se tem que cozinhar, limpar, fazer marmita, pegar e levar filho na escola, 30 min é muuuuito tempo!!! rsrsrsr... Sem falar que todas as noites eu tenho que fazer o "homework" com minha filha e depois fazer os meus próprios... vou dormir cansada!!!
Mas o que eu queria dividir com vcs é que na sexta passada eu peguei o resultado da avialiação que minha filha fez com a psicóloga. Eu nem lembro se comentei com vcs, mas a escola pediu essa avalição e nós fizemos. Foi feita particular e nós gastamos mais de $2.000 dólares. O governo não subsidia, mas o nosso seguro cobre até $1500, só que até agora eu não vi a cor desse dinheiro :(.
A psicóloga fez diferentes tipos de avaliações usando diferentes métodos e passou mais de uma hora me explicando o sobre as conclusões dela a respeito do desenvolvimento de minha filha. Graças a Deus, intelectualmente ela é normal. Mas alguns dos pontos que foram analisados mostraram que ela tem algumas dificuldades com o processamento das informações. Não vou entrar em detalhe de tudo, mas a conclusão é que ela tem déficite de atenção. Okay, eu sei que é a doença da moda e muita gente não acredita nela, mas tudo o que foi abordado pela psicóloga foi bem interessante e me passou muita segurança.
Eu achava que déficite de atenção estava relacionado com crianças hiperativas, mas enquanto ela a psicóloga me explicava eu me vi em alguns pontos que foram abordados sobre esse problema. 
Eu tive muita dificuldade no período escolar por não prestar atenção nas coisas que não me interessavam. Eu costuma passar as aulas desenhando as carteiras, cadernos e livros. Eu só parava nas aulas que me despertavam algum interesse. Até hoje eu sou assim. Hoje mesmo eu tive uma aula tão chata, mas tão chata, que enquanto a professora falava eu fui ao banheiro duas vezes, chequei o facebook umas 10 vezes, olhei no celular umas 5 vezes, vi as notícias do site da Globo, do UOL, da Folha de SP e do IG, ou seja, fiz de tudo pro tempo passar logo rsrsrsrs... E eu não consigo evitar. Quando eu não tenho acesso ao computador eu desenho, desenho e desenho. Começo com um rabisco e de repente uma página toda é tomada por formas, contornos e imagens.
Mas na minha época ninguém falava de déficite de atenção, então, eu enrolava na escola, em casa minha mãe estudava comigo - o que era uma tortura pra mim e pra ela rsrsrsrs -  e eu tinha milhares de aulas de reforço. Tudo isso até eu me conscientizar, aos 14 anos, de que eu tinha que me virar sozinha. Com o tempo eu desenvolvi estratégias de estudo e consegui superar as minhas dificuldades. Mas não foi fácil.
Voltando a minha filha, a psicológa sugeriu que eu e a escola esperássemos mais um ano, já que ela ainda é muito nova, pra ver como vai ser o desenvolvimento dela nos próximos meses antes de pensar em medicação. Sim, a medicação é uma possibilidade de fazer com que ela preste atenção.
O que eu acho??? Eu ainda estou na fase de ouvir e buscar informações. Meu primeiro pensamento não é favorável ao medicamento, afinal, eu sobrevivi sem ele. Mas, por outro lado, se realmente for comprovado que isso facilitaria a vida dela escolar e se o pediatra achar que deve ser dado eu vou pensar cuidadosamente sobre isso.
Eu tenho uma amiga bem próxima aqui que tem um filho com esse mesmo problema. Ela me disse que tem visto resultados concretos no uso do medicamento.
Infelizmente o mundo não é perfeito, né??? sempre tem umas pedrinhas no caminho. Quando a gente sai de um problema aparece outro e a vida vai seguindo.
Graças a Deus que déficite de atenção não é o "fim do mundo", graças a Deus que eu já superei problemas bem maiores e graças a Deus que estamos tendo condições de ajudar minha filha, mas que as coisas poderiam ser mais fáceis... ah, sim poderiam!!!!
Vou ficando por aqui pq já tá tarde demais. Que Deus nos dê um resto de semana abençoada.
Boa noite a todos.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Vancouver sem pagar hotel???

Uma das coisas que mais preocupa quem está vindo pro Canadá, seja como turista, estudante ou como imigrante, é encontrar um lugar em conta pra ficar até as coisas se ajeitarem.
Ninguém quer gastar "mundos e fundos" em hoteis caríssimos pq, com certeza, despesas mais importantes vão surgir pela frente. A não ser que a pessoa seja "montada na grana", aí é outra história.
Bom, mas o ponto que eu quero chegar é que essa semana, na aula de inglês do meu curso, algumas pessoas compartilharam a experiência de viajar e não pagar hotel, inclusive a própria professora, se hospedando na casa de pessoas que se oferecem pra recebe-las.
Eu sei que não faz parte da cultura do brasileiro se hospedar na casa de desconhecidos, pelo medo que nós temos de tudo que vimos e ouvimos no nosso país. Por uma questão de segurança a gente aprende desde cedo a não falar com estranhos, a não entrar em carro de desconhecidos, a não aceitar bebida de qualquer pessoa... imagine o que os nossos pais iriam pensar se dissessemos que iríamos ficar na casa de alguém que a gente nunca viu na vida e muito menos ainda em outro país!!! Pronto, ia ser um escândalo daqueles!!!! rsrsrsrssr... Eu mesma não me vejo ficando na casa de ninguém que eu não conheça. Pra falar a verdade já é difícil eu ficar na casa de quem eu conheço, quanto mais de quem eu não sei nem quem é!!! sem chance!!!
Mas como tem um ditado que diz "quem não tem cão caça com gato" talvez algum de vcs esteja tão apertado que ficar na casa de um estranho não seja lá uma má ideia, já que muita gente faz isso e as experiências são incríveis!!!
De repente pode ser uma boa ideia. Eu, Renata, ainda não tenho coragem. Minha cabeça ainda é bem brasileira e não consegue aceitar essas modernidades rsrsrsrsr, mas é uma prática comum pra muita gente aqui fora, então...
Vou deixar aqui o site que minha professora e meus colegas usam pra vcs darem uma olhadinha:
https://www.couchsurfing.com/
Tenham uma semana de boas notícias e cheia da presença de Deus.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Novo ano, novas metas

Na semana da virada de ano, exatamente na madrugada do dia primeiro pro dia dois de janeiro, eu fiquei refletindo sobre algumas coisas e lembrei muito de minha saudosa avó, que era uma pessoa altamente organizada. Eu cheguei a sonhar com ela me dizendo que eu estava fazendo tudo errado, que eu deveria ouvi-la mais. Foi um puxão de orelha!!! rsrsrsrsr... Então eu vi que era hora de tomar as rédeas da minha vida e decidi cortar todas as despesas desnecessárias. Sabe aquelas continhas que a gente vai acumulando e que no final das contas, juntando daqui e dalí, sai a maior grana por mês??? pois é, me livrei de todas!!!! O meu lema desse ano é "Organização de vida".
Eu quero gastar o necessário, comer o necessário, me preocupar o necessário e viver abundantemente.
Eu tive um estudo bíblico ano passado sobre finanças no qual o pastor dizia que o dinheiro tem que trabalhar pra gente e não a gente trabalhar pro dinheiro. Ele estava explicando que nós devemos nos organizar financeiramente pra não ficar pagando juros de um lado pro outro. A bíblia diz que quem tem ouvidos que ouça, e eu ouvi o que esse pastor falou rsrsrsrsr...
Fora a parte financeira, eu tb decidi prestar mais atenção no que eu vou comer. Continuo querendo perder peso, mas minha meta agora é comer menos com mais qualidade pra ter uma vida mais saudável. 
Ginástica??? vcs sabem que eu e ela não somos melhores amigas, né??? mas comecei o ano decidida a me esforçar e cumprir, pelo menos, a meta dos três dias na semana. Eu sei que, provavelmente, eu nunca vou ser uma das musas do Instagram no quesito ginástica e dieta, mas eu posso viver melhor comigo mesma e com o espelho, né??? Pelo menos é o que eu espero rsrsrsrsr...
Nessa quarta eu começo o curso de liderança na igreja. Quando eu penso nesse curso eu não sei como vou dar conta, mas eu estou tão feliz com essa oportunidade que vcs não tem ideia. É muito difícil ser lembrada pra cursos tão restritos quando se é mulher e imigrante. Eu fiquei muito grata pelo pastor ter lembrado de mim. Eu sei que foi um mover de Deus, mas o pastor se deixou usar e me abençoou.
Por último, mas não menos importante, é o estudo bíblico que estou fazendo e participando `as sextas-feiras. Tem sido uma bênção!!! Eu desejo muito que o grupo fique ainda mais unido e que cresça. Não por uma questão de número, pq isso não importa, mas pra que outras pessoas possam experimentar do que eu e meus amigos estamos vivendo e aprendendo a cada reunião.
Mudando de assunto, um colega brasileiro, que é permanente residente, me falou que ele está voltando pro Brasil. A esposa não se adaptou e está indo embora com os filhos agora em janeiro e ele vai ficar até o final do curso em março.
Fiquei triste por eles, mas eu sei que a imigração em família é um passo que tem que ser tomado a dois, pq quando um não quer as coisas ficam bem complicadas. Que Deus dê sabedoria aos dois.
Bom, vou ficando por aqui. Que Deus nos dê uma semana abençoada. 

sábado, 3 de janeiro de 2015

Pra quem está vindo...

Oi gente, resolvi escrever um post especial pra aqueles que estão vindo ou planejando vir pra British Columbia.
Não que eu não tenha escrito anteriormente, eu escrevi muuuuito sobre adaptação, custo de vida, planejamento, dificuldades do imigrante e assuntos relacionados, mas quanto mais eu vou conhecendo novas pessoas, e conversando com brasileiros que querem morar aqui, mais eu vejo que as pessoas precisam se informar antes de mergulhar nesse desafio.
Não quero desanimar ninguém, muito pelo contrário, eu sou a maior incentivadora de quem quer vir, porém acho que é importante vir com o pé no chão, tendo uma boa ideia do que vai encontrar pela frente.

1- Existe uma diferença GRANDE de quem já vem com a família como imigrante, com o PR - residência permanente -  e de quem vem como estudante, com visto de estudante, querendo imigrar.
Quem já chega com o PR pode ter ajuda do governo pra colocar filhos menores de 5 anos no daycare - dependendo do income - tem direito ao Universal Benefit, um dinheiro dado pelo governo mensalmente pra crianças abaixo de 6 anos, tem ajuda pra conseguir emprego, pode aplicar pra apartamentos mais baratos - tb dependendo do income - pode aplicar pra student loans, tem seguro de saúde do governo e outros benefícios que ajudam muuuuuito quem está começando a vida aqui.
Já o estudante internacional não tem direito a nada disso. Ele conseguiu o visto de estudante pq ele provou ao consulado que poderia se manter e manter a família pelo tempo que estiver estudando no Canadá, portanto, a vida do estudante internacional é bem mais cara!!!!
Mas quanto é mais cara??? Depende do tamanho de sua família, do nível de vida que vcs têm, e do tempo que vcs vão ficar aqui sem trabalhar.

Pra se ter uma ideia do CUSTO DE VIDA

•College - dois anos em um college bom, tipo VCC ou BCIT fica na faixa dos $26.000, podendo ser um pouco mais ou menos, mas é essa faixa. Isso só o college, sem falar o curso de inglês se vc precisar.
*Tem colleges mais baratos, mas eu, pessoalmente, escolheria entre o VCC, BCIT, Langara, Douglas, Kwantlen, UBC.  
•Moradia - moradia sem luxo, apartamento de 2 quartos fica na faixa dos $1100. SEM LUXO!!!! Se for em downtown esse preço pode passar dos $1500.
•Alimetação - comida é cara!!! vc gasta $800 com mercado brincando. Se for daqueles que enche o carrinho e não faz conta, pode preparar o bolso, pq qualquer pedacinho de carne é uma nota!!!
•Gasolina - gasolina está num preço bom. $1.04 o litro.
•Luz - energia é barata tb. Um ap de 2 quartos vc gasta $20 por mês no verão e $40 no inverno.
•Seguro - seguro de um carro usado, me baseando pelo que pago, $200/mês.
•Net - internet high speed+tel fixo+cable básico $120/mês. Esse valor pode variar um pouco dependendo do serviço que vc contratar.
•Celular - vai depender de vc. Conheço gente que paga $29.90 e quem paga mais de $120 por mês.
•Daycare - se vc precisar de daycare aí vc vai coçar o bolso mesmo!!! o preço varia de $850-$1500 mensais.
•Escolas - as escolas públicas aqui são ótimas, mas se vc cogitar as particulares os preços que eu conheço são:
Montessorians: $750 mês
Especiais: $850 mês
Católicas: faixa dos $200 mês
Cristãs: faixa dos $500 mês
Judaica: $1000 mês, mas uma criança judia sem condições não fica sem escola judaica de jeito nenhum.

2- O que acontece muito é que o casal quando decide vir planeja que um vai estudar e o outro vai trabalhar pra diminuir os gastos. Okay, o plano é ótimo, mas se o que for trabalhar não falar inglês e nem tiver um trabalho de fácil colocação as coisas podem ser mais difíceis. 
Quando a pessoa já se defende no inglês, é de uma área boa, como TI, e tem networking, conhece alguém que possa abrir uma porta, aí sim as coisas ficam mais fáceis. Mas tudo fica mais complicado quando a pessoa é da área de direito, por exemplo, e nem fala inglês. 
Imagine vc procurar emprego sem saber falar!!! Não é impossível, com Deus no barco as coisas fluem, mas a gente tem que ter pé no chão e saber que o começo pode não ser bem do jeito que esperávamos.
Quando eu imigrei para os EUA eu não falava inglês. Eu tinha aquele inglês de escola, muito "mais ou menos". Eu sabia que se eu quisesse chegar em algum lugar eu teria que aprender a falar inglês, então, eu estava preparada pra estudar muuuuito e trabalhar do que aparecesse pra me sustentar. E foi o que eu fiz. Mas eu não era casada e nem tinha filhos, então, eu tinha todo o tempo do mundo pra correr atrás. Gente, eu ralei muuuito!!! trabalhava de dia, estudava a noite, não tinha fim de semana, era me dedicando ao máximo pra subir os degraus da minha nova vida, passo a passo.
Outra coisa importante é que tem gente que vem fazer um curso de inglês de alguns meses pra conseguir a pontuação pra fazer o college, mas o negócio complica quando a pessoa termina o tempo que pagou do curso de inglês e ainda não tem a pontuação pro college. O que vcs acham que acontece??? Mais dinheiro, mais gastos, mais tempo de estudo.

3- Querer viver aqui não está errado. Eu, pessoalmente, acho que doido é quem não quer sair do Brasil rsrsrsrsrrs... Brincaderinha!!! :) Mas o que as pessoas têm que entender é que viver em um outro país quando vc não tem as colocações pra entrar como imigrante tem um preço a ser pago e não é barato. Porém eu pagaria esse preço mil vezes se precisasse pra garantir a minha e a minha família uma qualidade de vida melhor.
Quem vem como estudante pensando em ficar tem que ter consciência que vai gastar muito pra poder alcançar a residência, mas que vai valer a pena, se é esse tipo de vida que ele/ela está procurando.
Os que já vem como residentes não gastam a mesma quantidade de dinheiro, mas, por outro lado, são pessoas que tiveram que se planejar, fazer IELTS, lidar com a ansiedade e a demora da fila de imigração que, dependendo, podia levar 6 anos ou mais. Como foi o caso de um amigo que veio como investidor. O processo dele levou 6 anos!!! O meu levou 3 anos, 3 anos de incertezas, de angústia, de sonhos e de fé. 
Resumindo, todos nós que viemos pagamos um preço e ainda estamos pagando pq a adaptação é um processo que não acontece do dia pra noite. Olhem pra mim, estou aqui há 3 anos estudando, me preparando pra entrar no mercado de trabalho.

Não vou me prolongar mais pq o post já está ENORME, mas eu achei que era importante deixar esse alerta para as famílias que estão vindo. Que Deus abençoe enormemente a vida de vcs, os seus planos e sonhos, e que o Canadá seja tudo o que vc espera que ele seja.
Tenham um final de semana abençoado.