"Agrada-te do Senhor, e Ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais Ele fará." Sl37: 4-5















terça-feira, 25 de novembro de 2014

Dificuldades de imigrante

Oiiii!!! estou cansada mas resolvi passar aqui pra dividir com vcs um pouquinho da minha vida.
Vcs sabem que eu estou estudando, né??? pois bem... eu conheci um brasileiro que sentou do meu lado no primeiro dia. Um cara jovem, simpático, bem bacana. Ele está aqui há pouco mais de um ano e está numa crise existencial. Segundo ele o investimento pra vir e ficar todo esse tempo parado, sem trabalhar, tem sido muito alto. Ele tentou conseguir emprego mas nada deu certo, inclusive, ele até está cogitando voltar pro Brasil. Não é o que ele quer, mas o nível de vida que ele tinha no Brasil e proporcionava pra sua família era bem maior do que ele está tendo aqui. 
Esse cara é muito bem preparado na área de negócios, é um empreendedor, então, eu acho que é mais complicado pra ele conseguir uma posição numa empresa. Eu acho que o caminho, nesse caso, seria um negócio próprio. Mas enfim... O que eu quero abordar aqui é o estresse emocional que uma pessoa numa posição dessas enfrenta. É muito complicado imigrar cheio de planos, objetivos, sonhos e ver o tempo passar sem nada de concreto acontecer. Sem falar na cobrança da família, dos amigos, dos conhecidos... sempre tem alguém que nos faz lembrar que não saímos do lugar rsrsrsrsr... É um tal de "e ai, já conseguiu trabalho???" ou "vc já está a quanto tempo parado???". Frases comuns mas que na hora errada soam como um tapa na cara.
A situação fica pior, ao meu ver, quando é o provedor que está sem trabalho. Pq no caso desse meu amigo, a esposa tem que ficar com as filhas, que são pequenas pra entrar na escola, e ele é que deveria ser a pessoas responsável pela entrada de capital.
Eu consigo me colocar no lugar dele e acredito que não é fácil viver sem ter certeza de que as coisas vão dar certo. Porém, por outro lado, a gente nunca tem certeza absoluta de nada. Cada fase da vida nos ensina alguma coisa e nos amadurece pra futuros passos. O importante é ser um bom observador e tentar aproveitar o melhor de cada momento.
Como pra mim não existe o "voltar pro Brasil", ou o Canadá dá certo ou dá certo, pq eu já não me vejo no Brasil há muuuuito tempo!!!
Eu tb me preocupo, fico triste, `as vezes deprimida com as portas fechadas, mas eu consigo ver o lado positivo do momento que estou vivendo e confio em Deus. Tô num aperto lascado??? estou!!! mas Deus não tem deixado faltar nada e na hora certa a porta certa se abrirá, pq o mesmo Deus que prometeu é fiel pra cumprir.
Mas não pensem vcs que todas as áreas são difíceis aqui em BC. Cada caso é um caso. Eu mesma conheci uma gastrônoma que mal chegou do Brasil e já conseguir emprego. Ela está trabalhando num restaurante da granville island com a maior cara de bom.
Não podemos deixar os obstáculos tirarem a nossa visão do alvo. É não olhar pro tamanho do problema e sim pro Senhor que pode nos ajudar a resolver o problema.
Tenham uma boa noite.

sábado, 22 de novembro de 2014

Nem tudo é como queremos

Oi gente, eu tive uma semana bem corrida por causa do novo curso. Eu já estava tão acostumada a ficar em casa e não ter grandes obrigações que eu confesso que estranhei em voltar a ter uma rotina cheia. Mas tem sido legal. Tenho aprendido muuuuuito!!! 
É claro que eu gostaria de estar trabalhando e fazendo dinheiro, mas parece que Deus tem outros planos pra mim srsrsrsrs...
Hoje eu estou até meio abatida. As vezes a gente planeja tanto, espera que as coisas saim do nosso jeito, mas sai tudo errado, ou melhor, tudo diferente do que esperávamos e nem sempre é fácil de aceitar.
Tem vezes que dá vontade de desistir, fechar os olhos e dormir pra sempre, mas aí eu lembro que tudo na vida tem uma razão de ser e não são os obstáculos que vão nos fazer desistir. É nessa hora que entra a fé, a fé no Deus criador, no Deus da bíblia que tem transformado vidas durante os séculos, no Deus de Abraão, de Moisés, de Jacó, Daniel, Davi, no mesmo Deus que deu seu filho pra que morresse por mim e por vcs.
Quando eu penso em Deus eu lembro o quanto eu sou pequena e frágil, o quanto eu preciso estar mais perto dEle pra prosseguir.
Hoje, enquanto eu dirigia a caminho do curso, eu coloquei algumas músicas cristãs e fui cantarolando no carro de Richmond a Surrey. Por alguns instantes eu me senti grata por crer. Me senti privilegiada simplesmente por acreditar em Deus em um mundo onde a maioria das pessoas não acredita mais em nada. 
Eu nem sei ao certo pq Deus me escolheu. Eu olho pra mim e me acho tão ruim!!! As vezes penso como o apóstolo Paulo: "Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem.
Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço." Romanos 7:18-19
Quando eu fico sabendo dos cristãos que estão presos no Irã por não negar a fé ou dos que foram assassinados no Iraque e em outras partes do mundo eu me sinto uma cristã tão água com açucar!!! Pq é fácil falar de Deus e seguir a Jesus quando se mora em um país livre, eu quero ver fazer isso com uma faca no pescoço.
Eu sem dúvida não sou merecedora do amor de Deus, mas Ele, na Sua infinita misericórdia, olhou pra mim e disse: Eu quero entrar no coração dessa baiana... e Ele entrou e fez morada no meu ser. 
Deus não está numa igreja ou numa denominação, Ele está revelado na bíblia e pela fé podemos nos achegar a Ele. 
Que o Senhor nos dê um final de semana abençoado.
Uma boa noite.




segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Imigrar pra Vancouver é um desafio

Hoje foi o meu primeiro dia de aula na SFU e como todo começo de curso conheci pessoas de diferentes backgrounds, linguas e países. Acredito que as pessoas responáveis pelo programa fizeram questão de diversificar. Na sala tinha brasileiros, chineses - não podia deixar de faltar, né?? rsrsrsrs - mexicanos, filipinos, russo, ucraniano, árabe e iraniano.
A SFU recebeu 180 aplicações e somente 20 pessoas foram chamadas. Fiquei feliz de ser uma delas :)
Mas entre uma conversa e outra eu ouvi o quanto é difícil conseguir uma oportunidade de emprego aqui em BC se vc não for da área de TI. Todo mundo sabe que o clima aqui é mais ameno e por isso a cidade é uma das mais sonhadas por todo mundo no Canadá. Mas o alto custo de vida e o mercado competitivo desanimam.
Todas as pessoas selecionadas pra esse programa são imigrantes profissionais buscando uma oportunidade de emprego ou o início da carreira em terras canadenses. Muitos vieram como skilled workers e provaram pro consulado que tinham experiência e educação pra imigrar e trabalhar aqui. Porém, nada disso abriu portas de emprego pra eles. A tal experiência canadense, a falta de uma pessoa que desse referência e o mercado altamente competitivo de Vancouver foram e estão sendo  grandes obstáculos.
Não há dúvidas que outras partes do Candá oferecem mais oportunidades pro imigrante do que BC, mas uma vez que vc conhece Vancouver fica difícil pensar em viver em outro lugar. É preciso muita coragem e determinação pra abrir mão daqui e encarar os lugares mais gelados do país.
Eu confesso a vcs que já passou pela minha cabeça me mudar, mas sempre que eu lembro das temperaturas que podem chegar a -30, -40, eu foco no lado positivo e concluo que vale a pena investir um pouco mais aqui rsrsrsrss...
Enquanto as pessoas iam falando sobre elas durante a aula eu fiquei refletindo como é desafiador, emocionalmente falando, abrir mão de uma carreira estabilizada em seu país de origem e começar, praticamente do zero, no Canadá. É preciso muita humildade, controle emocional e fé pra se manter firme, pq não é fácil. 
Eu não senti muito essa mudança pq parei de trabalhar quando minha filha nasceu, então, eu estava completamente fora do mercado de trabalho quando vim pra cá. Mas eu tenho amigas que deixaram carreiras pra trás pra viver o sonho canadense e eu sei que as vezes a pressão na cabeça delas é grande.
Não estou falando isso pra desanimar quem quer vir, de forma alguma!!! Mas é bom que as pessoas saibam onde vão pisar.
Bom, eu vou ficando por aqui. Estou cansada e vou dormir cedo. Tenham uma boa noite. Que Deus nos abençoe e nos dê uma semana tranquila.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Acabaram as minhas férias

Oi gente, como vcs sabem eu terminei o meu curso do BCIT no final de maio desse ano e desde então eu tenho procurado por emprego. Tem sido uma jornada desgastante e desanimadora. Por várias vezes questionei a qualidade dos meus trabalhos, minha competência, talento e etc. Busquei em Deus força pra não desanimar. 
Eu acho que só não perdi a minha cabeça pq eu acredito no direcionamento de Deus. Eu sei que quando Ele quer abrir uma porta Ele abre e não tem experiência canadense, não tem "QI", não tem inglês perfeito, não tem nada além da vontade dEle. Por outro lado, quando Ele tem outros planos pra gente as portas se fecham e não tem quem abra.
Bom, devido a falta de emprego eu comecei a trabalhar part-time com imigração e tem sido muito prazeroso ouvir os sonhos de tantas famílias que querem vir pra cá. Não considero nem como um trabalho, pra mim é um voluntariado que eu faço com amor, pq eu entendo cada pessoa que fala comigo tentando realizar o sonho canadense. 
Mas antes mesmo desse trabalho com imigração eu fiquei sabendo de um curso da Simon Fraser completamente subsidiado pelo governo pra residentes e cidadãos desempregados da área de comunicação e eu resolvi enviar uma aplicação. Preenchi o formulário no impulso, sem nem mesmo pensar direito se era o que eu queria ou não. Só considerei que era de graça, que era de uma universidade conceituada e que não custava nada tentar. Dias depois me chamaram pra uma entrevista com dezenas de outras pessoas e na sexta passada eu recebi um email dizendo que eu tinha sido selecionada pra participar desse programa. O curso é de media communication com inglês, é full time, de seg a sexta e vai durar três meses mais o estágio. As aulas vão começar semana que vem e eu vou voltar a ter uma rotina rsrsrsrs...
Não era nem de longe o que eu estava esperando pra minha vida nesse ano, mas estou feliz por ser alguma coisa que vai melhorar o meu curriculum e me dar mais oportunidades. Acredito que Deus tem um plano nisso tudo e que um dia eu vou entender o pq de não ter conseguido emprego e de ter sido selecionada pra esse curso.
Pra quem está se perguntando como vai ficar meu trabalho com imigração eu quero dizer que vou continuar. Não penso em parar. Tem sido muito legal!!!
Pra encerrar eu gostaria de dizer que a família de Fortaleza já alugou ap, já comprou móveis e está começando a se ajustar. A filhinha deles está amando a escola e não quer nem que a mãe a acompanhe rsrsrsrs... Chegou sem falar nada de inglês, mas está se saindo super bem.
Que Deus abençoe o resto da nossa semana.

domingo, 9 de novembro de 2014

A saga dos cearenses continua

Resolvi escrever um pouco mais sobre essa família de amigos, pq acredito que história deles têm servido de exemplo pra quem está pensando em vir pro Canadá. Depois dos últimos posts eu recebi um número considerável de emails de pessoas querendo mais informações sobre a vida aqui.
Bom, quando esse família resolveu abrir mão da vida no Brasil e encarar o desafio da imigração eles deixaram pra trás empregos, família, amigos, estabilidade, pra aventurar uma nova vida num país socialmente mais digno. Como não conheciam ninguém aqui vieram direto pra um hotel em downtown e contactaram uma amiga minha através de uma das comunidades brasileiras do facebook pra saber como as coisas funcionavam por aqui. 
Assim que chegaram foram procurar por apartamento e tiveram que encarar o primeiro desafio: a falta de crédito e de histórico local. Ficaram indignados com as inúmeras portas que se fechavam bem na cara deles. Em uma das entrevistas por apartamento o landlord os deixou esperando por mais de 20 min e depois olhou pra eles e disse que não tinha mais apartamento pra alugar. Preconceito??? não sei. Mas eu disse a eles que eu acreditava que quando as coisas não estão dando certo a gente precisa abrir os nossos olhos espirituais. De repente Deus tinha algo melhor pra eles.
Depois de mais de uma semana andando e batendo nas portas eles conseguiram alugar um apartamento. Deram o depósito e o ap estaria vago no dia primeiro de dezembro, ou seja, seria um mês dentro de um quarto de hotel.
Com o endereço na mão eles foram ao school board de Vancouver registrar a filhinha deles no Kindergarten. Não conseguiram. O school board queria uma carta do college, mas eles só tinham a do curso de inglês. Ligaram pra agência que vendeu o pacote, contactaram a escola daqui e nada.
Então nos informamos com uma consultora de imigração que viu os documentos e disse que estava tudo certo. Fomos a um outro school board e tudo foi resolvido. Na sexta passada a filhinha deles começou na escola e adorou!!! O casal ficou encantado com a estrutura do lugar, com os professores e com toda assistência que receberam.
Naquele momento eles tinham um outro problema: tinham que conseguir um outro ap pq o que eles tinham alugado ficava muito longe demais da escola da filha deles. Um casal de amigos meus se ofereceu pra ajudar e em apenas dois dias eles fecharam contrato num apartamento novinho, super bem localizado e todo o sufoco que passaram nos primeiros dias foi substituido pela alegria de, enfim, estarem começando a vida aqui.
Desde ontem eles estão comprando as coisas básicas pra mudarem pq o ap já está disponível. Eles, inclusive, já estão com as chaves nas mãos.
Agora que os primeiros desafios já foram superados, eles vão focar em conseguir o nível de inglês suficiente pra começar no college. A minha amiga inclusive já marcou algumas provas de inglês dos próprios colleges pra ver se consegue entrar direto sem precisar gastar tempo e dinheiro com o cursinho que ela tinha pago.
Pra quem não sabe, colleges e universidades, geralmente, tem uma prova de inglês deles mesmos que serve pra avaliar o nível do estudante. Ou seja, pode servir como um substituto do IELTS e é mais barato. Por exemplo: a minha amiga pagou $75 pra fazer a prova da Kwantlen e $100 pra fazer a do Langara.
Quando eu estava querendo estudar eu fiz a do BCIT. Eu lembro que foi mais de $100 mas eu não precisei do IELTS.
Bom, eu vou ficando por aqui. Espero que Deus nos dê uma semana abençoada.
Tenham uma boa noite.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Mais sobre os meus amigos cearenses no Canadá

Agora as notícias são boas, graças a Deus!!! Depois de todo o estresse que eles passaram com a escola da filha nós, enfim, conseguimos resolver tudo e a menina começa na escola amanhã.
Não vou entrar em datalhes aqui de como foi todo o processo, mas eu gostaria de deixar claro que a agência e a escola de inglês que eles contrataram não ajudaram em nada.
Eu agradeço aos amigos cristãos que leem o meu blog e se ofereceram pra ajudar, incluindo a Susana, consultora de imigração da Global Immigration, a Alessandra da agência Excel e a Clarissa da Boreal Trip. Sem falar nos amigos que estão ajudando a ver apartamento, que os acompanharam no school board, que oraram e se dispuseram a ajudar de alguma forma.
Hoje em dia com o acesso que temos ao facebook, aos blogs, aos vlogs, fica mais fácil entrar em contato com famílias que vivem no Canadá. Eu sei que é complicado pedir ajuda a alguém que a gente não conhece, que nunca viu na vida, mas a troca de informações e experiência pode ajudar muito.
Quando eu vim pra cá com meu marido em 2011 eu entrei em contato com um cara muito bacana do Piauí. Ele se ofereceu pra me ajudar no que eu precisasse e eu, com a minha "carinha de pau" rsrsrrs, pedi que ele me desse uma mãozinha na chegada, já que eu não conhecia nada e nem ninguém aqui. Ele foi a pessoa que Deus colocou no nosso caminho pra nos mostrar como as coisas funcionavam, pra nos dizer o que era norte e o que era sul rsrsrsrs...
Nos EUA eu e o meu marido orientamos muitos recém chegados através da igreja. Mas lá era diferente, pq a comunidade brasileira era bem maior. As pessoas já sabiam que se fossem numa igreja encontrariam orientação e ajuda. Aqui é diferente. Eu não encontrei nenhum apoio de brasileiros nas primeiras igrejas que fui. Eu fiz amigos através do blog e da internet. Uma pessoa foi puxando outra e outra, até que formamos um grupo bem legal.
Mas o que eu quero dizer é que se você está vindo, principalmente com família, com crianças pequenas, entre em contato com pessoas que já estejam vivendo aqui. Isso vai te ajudar muuuuito!!!
Talvez o que vc está passando pode ser resolvido por alguém que já passou pela mesma coisa. Uma dica, uma informação, um conselho podem definir como será sua vida no Canadá nos próximos anos.
Mudando de assunto, hoje eu conheci um programa de estudos em Quebec bem legal pra quem quer imigrar. Vou colocar aqui o flyer pq eu acho que vale a pena.
Vou tb colocar um video que eu assisti hoje e que me deixou feliz.
Que Deus nos dê um resto de semana abençoado.



segunda-feira, 3 de novembro de 2014

A saga dos meus amigos no Canadá

Oi gente, eu nem estava pensando em escrever hoje pq a minha noite não foi das melhores. Parece que minha filha pegou uma virose e estava com diarréia e vômito. Eu falo estava pq hoje o dia foi tranquilo. Estou pedindo a Deus que a noite tb seja, pq eu tb não estou 100%. Estou com dor de cabeça há três dias.
Mas vamos ao que interessa. Lembra do casal que eu conheci semana passada??? o casal de Fortaleza??? pois é, eles mesmos. Então, eles vieram pra cá com visto de estudante pra estudar inglês e depois college. Compraram o pacote de uma das escolas mais recomendadas pelos brasileiros no facebook através de uma agência. 
Já na semana passada eles ficaram decepcionados com a quantidade de adolescentes e brasileiros na escola, mas hoje a decepção foi maior e eu resolvi compartilhar aqui pra que sirva de alerta pra quem está querendo vir do mesmo jeito.
Eles vieram com uma filha menor de idade e, segundo a agência que vendeu o pacote, eles poderiam matricula-la em uma das escolas públicas daqui. Infelizmente, ao ir ao School Board de Vancouver hoje, eles descobriram que só teriam direito de matricular a filha com uma carta de um college. Eles contactaram a agência que vendeu o pacote e a agência pediu que eles falassem com a escola responsável pelo pacote de inglês + college. Eles, então, foram na tal escola que, pra surpresa deles, não tinha ninguém que pudesse orientá-los. Nenhum gerente, nenhum responsável, somente atendentes sem autoridade nenhuma.
Bom, agora eles estão correndo atrás do prejuízo. Estamos estudando o melhor caminho pra que eles possam resolver essa situação o quanto antes, afinal, as aulas já começaram e a filhinha deles precisa estudar.
Eu resolvi dividir isso com vcs, pq eu sei que é muito frustrante passar por coisas assim. É preciso muita cautela nas hora de escolher a agência de intercâmbio e os pacotes que vc vai comprar. Pq na hora de pagar todo mundo é simpático, prestativo e disponível, mas na hora que surge um problema as coisas são bem diferentes!!!
Vou colocar aqui um pedaço da carta que o School Board deu a eles.



Que Deus nos dê uma semana abençoada e que os meus amigos consigam resolver todas as pendências da melhor forma possível.